Em discurso, presidente defende diversidade religiosa

Na prática, seu partido tem ações contrárias à liberdade de religião

bandeira-da-india

Em sua primeira visita ao estado de Mizoram, o presidente da Índia, Ram Nath Kovind, incentivou a população de seu país a preservar e estimar a diversidade étnico-religiosa. Mizoram é um dos três estados de maioria cristã na Índia, com 87% de cristãos. Os outros dois estados cristãos são Nagaland (com 90% de cristãos) e Meghalaya (com 70%), todos localizados no nordeste do país. 

Em discurso no parlamento de Mizoram, o presidente disse: “Vemos uma grande variedade de identidades étnico-religiosas, e tantas línguas, culturas, costumes, modos de vestir, hábitos alimentares e gastronomia. Essa diversidade é nossa força. É importante preservar e estimar isso”. 

Poucos dias depois, a Índia recebeu a visita do ex-presidente norte-americano Barack Obama. Ele conclamou o governo indiano a proteger a liberdade religiosa, dizendo: “As pessoas têm o direito de praticar a fé que escolherem, sem medo nem discriminação. Em todos os países, garantir essa liberdade é responsabilidade do governo e de cada pessoa. A religião tem sido usada para tocar o lado escuro do homem”. 

Contexto religioso do país

Cerca de 80% da população da Índia é hindu, mas em Mizoram eles são apenas 3,5%. Minorias religiosas em todo o país reclamam que são alvo de ataques devido à fé. A maioria dos ataques são direcionados a cristãos e muçulmanos. 

Ram Nath Kovind foi eleito em julho como candidato do partido nacionalista hindu BJP. Sua eleição causou preocupação às minorias religiosas, que lembraram seu comentário de sete anos atrás: “Cristianismo e islamismo são estranhos à nossa nação”. Em novembro, um editorial do órgão de imprensa do BJP publicou que “a Índia não é um país para cristãos” e outras fés não-hindus; “eles têm seus próprios países”, concluiu. 

A Índia ocupa a 15a posição na Lista Mundial da Perseguição de 2017. Recentemente, a Portas Abertas publicou que apesar de a legislação do país garantir liberdade de religião e crença, existem movimentos nacionalistas que desejam afastar do país toda a influência ocidental – como o cristianismo. Além disso, alguns estados aprovaram a lei anti-conversão, onde pastores têm sido agredidos por extremistas hindus. Cinco dos estados onde a lei foi aprovada estão sob a liderança do BJP, que é o partido nacionalista hindu e o partido do novo presidente. 

Você pode fazer mais pela Índia
No dia 27 de maio de 2018 acontecerá o Domingo da Igreja Perseguida (DIP) em todo o Brasil. Essa mobilização nacional visa fortalecer a igreja indiana que enfrenta muitos desafios para servir a Cristo. Se a sua igreja ainda não está participando, corra e cadastre-se no site www.domingodaigrejaperseguida.org.br. Mais de 3.000 igrejas já se inscreveram. Não deixe a sua de fora. 

Leia também
Mais um pastor é agredido na Índia
Dez igrejas são fechadas na Índia
Educação cristã é alvo de perseguição