Foi ontem o referendo sobre a independência do Curdistão

Independência divide opinião de cristãos, que temem novos conflitos

 25-iraque-foi-ontem-o-referendo-sobre-a-independencia-do-curdistao

O referendo de ontem, 25, veio após décadas de luta por um estado curdo independente. A opinião dos cristãos se divide entre os que são a favor e os que são contra a independência. A maioria dos favoráveis são aqueles que moram no Curdistão. As posições dos partidos políticos cristãos no parlamento curdo também são divididas. Dos cinco assentos cristãos no parlamento, três são do Movimento Democrático Assírio, que se opunha até mesmo à realização do referendo. Eles não concordam com a inclusão das planícies de Nínive na área a ser votada e temem que incluir essa região traga conflito para os cristãos que vivem lá. Os outros dois assentos pertencem ao Conselho Popular Siríaco Assírio Caldeu, que tende a favor da independência.

 

As planícies de Nínive são uma área disputada. Um obreiro local explica que o Movimento Democrático Assírio pode estar certo em esperar um conflito, porque no caso de uma guerra civil, essa pode ser uma das regiões mais afetadas. “E uma guerra civil é muito possível. O governo iraquiano está sendo muito forte em suas ameaças contra o referendo, assim como países vizinhos”, afirma.

 

Para os cristãos das planícies do Nínive, essa é outra questão. Não faz nem um ano que seus vilarejos foram liberados do Estado Islâmico, e agora correm o risco de enfrentar mais violência. Enquanto muitas igrejas continuam com suas atividades de reconstrução, alguns cristãos adiam o plano de retorno. “Fiquei sabendo que algumas pessoas estavam para voltar, mas decidiram ficar nos campos de refugiados e esperar os resultados e consequências do referendo”, diz o obreiro local.

 

Leia também

Esperança para a igreja no Oriente Médio

Ore pelos nossos irmãos iraquianos