Cristão perseguido ainda pede orações

Líder foi preso por falsa acusação e agora enfrenta as consequências; apesar das dificuldades, ele continua atuando com a igreja secreta no país

Cristão perseguido ainda pede orações

Recentemente, informamos que um dos líderes cristãos que atua no Quirguistão, conhecido como Miran*, foi preso por uma falsa acusação. Mesmo com as provas de sua inocência, ele foi punido pelas autoridades e, depois de sair da prisão, continuou sendo perseguido, além de ter que conviver com as consequências como a dificuldade de conseguir um emprego.

Mas ele permanece firme na fé em Cristo e agradece pelas orações de todos. “É tão bom saber que há irmãos do mundo inteiro orando por mim e pela minha família durante esses momentos difíceis. É isso que me dá forças para seguir em frente e continuar lutando. Agora eu sei que tenho uma família enorme e sou grato a Deus por isso. Obrigado, Senhor, pelos meus irmãos que abriram seus corações”, disse Miran.

Apesar das dificuldades, ele continua com seu ministério no mesmo lugar, atuando como igreja clandestina e secreta. Segundo o líder, a pressão agora vem de todos os lados, das autoridades locais, dos moradores e, especialmente, da comunidade muçulmana. O desemprego também é algo preocupante. Ele explica que as pessoas o encaram como um “traidor do islã”, principalmente por ser um nativo.

Segundo ele, muitas pessoas o ignoram. “Mesmo assim, eu continuo orando por eles, e tenho confiado em Deus”, disse. Apesar de tudo, Miran está tranquilo e em paz. Ele ainda pede orações para que encontre um emprego que supra as necessidades da família e também pela saúde de todos eles, emocional e espiritual. Ore por sua segurança e pela continuidade de seu ministério no Quirguistão.

*Nome alterado por motivos de segurança.

Leia também
Cristão ficou preso por falsa acusação