Cristãs são perseguidas pelas autoridades

Um grupo de mulheres foi surpreendido por policiais enquanto realizavam uma reunião cristã secreta; algumas não suportaram a pressão e retornaram à antiga fé

10-asia-central-mulher-preocupada

Recentemente, recebemos um pedido de oração, vindo de um dos países da Ásia Central. Guliyar* é uma cristã que tem paralisia cerebral, além de não possuir uma das mãos. Quando seus pais descobriram que ela havia se convertido ao cristianismo, eles a agrediram com o objetivo de fazer com que ela retornasse à antiga fé. Mas ela permaneceu firme em sua decisão de seguir a Jesus Cristo, apesar dos riscos.

Por causa de sua persistência, a garota foi expulsa de casa e os pais disseram que não mais a consideram como filha. Há pouco tempo, um grupo de mulheres cristãs ex-muçulmanas foi preso durante uma reunião secreta e Guliyar estava presente. Os policiais as questionaram, bateram e fizeram ameaças. Quatro delas não suportaram a pressão e negaram a Cristo, retornando à religião nativa.

Guliyar e Asel*, porém, insistiram e permaneceram firmes, apesar das ameaças dos policiais. Elas tiveram que comparecer a um tribunal. Guliyar foi sentenciada com uma multa de alto valor por “participar de reuniões religiosas ilegais” e “proselitismo”. Não há notícias sobre Asel até o momento. A equipe da Portas Abertas aguarda por mais informações e pede oração pela vida das nossas irmãs, para que fiquem bem. 

*Nomes alterados por motivos de segurança.

Leia também
Ore pela distribuição de materiais cristãos na Ásia Central
Fome e sede da palavra

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe seu comentário

*
*
 
*
*Campos obrigatórios