Governo lança o ambicioso plano “Visão Arábia 2030”

A Arábia Saudita planeja impulsionar a economia do país e também criar uma sociedade que dependa somente dos valores islâmicos

9_Arabe_0380005743

De acordo com informações da BBC News, no dia 25 de abril, a Arábia Saudita lançou um ambicioso plano para reduzir a sua dependência do petróleo. No ano passado, cerca de 70% das receitas do reino saudita foram provenientes da indústria petrolífera. O The Guardian citou declarações de especialistas no ramo que afirmaram que o plano foi apelidado de "Visão Arábia 2030", e que ele está centrado não apenas na economia do país, mas também tem a pretensão de criar uma sociedade que se destaca e que vive somente dos valores islâmicos, conforme mencionou o jornal Arab News. A estratégia dos sauditas, de acordo com a BBC News, é criar o maior fundo soberano do mundo, com recursos de US$ 2 trilhões, mais do que o dobro do maior fundo de investimentos estatal existente hoje, o da Noruega, com US$ 865 milhões. Para que o fundo soberano saudita, hoje com US$ 160 bilhões, alcance os US$ 2 trilhões, Riade (capital do país) planeja uma ação inédita: privatizar 5% das ações da petroleira estatal Saudi Aramco.

"Para modernizar uma nação é preciso ir além das reformas econômicas, é necessário que haja muitas reformas sociais, incluindo a melhoria dos direitos humanos, da situação das mulheres e também das minorias religiosas, entre elas xiitas e cristãos. No caso das mulheres, apesar do aumento da participação delas no mercado de trabalho, ainda sequer é permitido que conduzam automóveis, por exemplo", comenta um dos analistas de perseguição.

"O reino saudita se orgulha muito de sua identidade islâmica e também pelo fato de liderar o mundo muçulmano. Mas a comunidade internacional critica severamente essa nação por suas punições bárbaras, açoitamentos, amputação de mãos e suas decapitações feitas em público. O presidente dos EUA, Barack Obama visitou o país recentemente e discutiu a situação dos direitos humanos com seus líderes. A resposta foi simplesmente que estas são as punições islâmicas e que nenhuma mudança deve ser esperada nesse sentido", explica o analista. A Arábia Saudita atualmente ocupa a 14ª posição na Classificação da Perseguição Religiosa, onde seguir a Cristo é crime punível com pena de morte. Em suas orações, interceda por essa nação.

Leia também
Crise diplomática piora a perseguição religiosa
Conflito entre Arábia Saudita e Irã atinge cristãos
Violência aumenta e cristãos ficam no meio do fogo cruzado

 

Comentários

  • Vera Lucia de Souza
    10 mai 2016 de 20:41
     

    Alguns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós confiamos no Nome do SENHOR, o nosso Deus.

Deixe seu comentário

*
*
 
*
*Campos obrigatórios