Na prisão, pastor Farshid Fathi é processado

O imã (líder islâmico) da prisão onde o cristão iraniano – e ex-muçulmano – Farshid Fathi está detido abriu um processo judicial que pode adicionar mais dois anos à pena de seis anos que Fathi já está cumprindo. A situação surgiu após o imã ordenar que todos os materiais religiosos fossem retirados da cela e Farshid e outros cristãos se recusaram a entregar

13_Iran_0260100005

No Irã, convertidos ao cristianismo regularmente enfrentam a prisão, uma vez que o regime iraniano rotula a profissão da fé cristã uma ameaça à segurança nacional.

O clero responsável pela ala de número 10 da prisão Rajaei Shahr solicitou a apreensão de livros cristãos. Na sequência da recusa por parte dos prisioneiros, Shahr processou o pastor Fathi.

De acordo com o relato de ativistas da agência de notícias de direitos humanos HRANA, o pedido aconteceu no dia 5 de março.

Um dos presos disse ao repórter da HRANA que "o clero da ala número 10, representado pelo nome de Mortazavi, emitiu uma ordem de apreensão de livros cristãos sem motivo. Cristãos desta ala, que obtiveram seus livros através dos canais oficiais, se recusaram a entregá-los".

O preso continuou: "O clero emitiu um relatório acusando e insultando Farshid Fathi. Isso pode resultar em mais dois anos de prisão para ele".

É importante mencionar que "os clérigos são nomeados por causa dos assuntos culturais da prisão e não têm direitos para investigar, pesquisar ou punir os prisioneiros".

Leia também
No Irã, mais de 20 pessoas foram presas durante o Natal

FonteHRANA
TraduçãoAna Luíza Vastag
 

Comentários

  • Daniel de Castro Garcia
    18 mar 2015 de 22:25
     

    simplesmente absurdo, injusto e horrenda crueldade, aqui no Brasil ainda não estamos passando por isso, mas temos que orar e ajudar nossos irmãos. Pois o mundo jazz no maligno.

Deixe seu comentário

*
*
 
*
*Campos obrigatórios