Para uma mudança verdadeira na China são necessárias quatro etapas

A perseguição religiosa tende a estar relacionada com o crescimento e o testemunho, e normalmente refina e fortalece a fé dos cristãos, não o oposto. O grande avivamento na China começou com a Revolução Cultural de Mao, em 1960

Bíblia chinesa.jpg

Durante anos, milhões de Bíblias foram contrabandeadas para a China. Hoje em dia, os tempos mudaram. Bíblias estão cada vez mais disponíveis e acessíveis, mas novos desafios estão surgindo em seu lugar. Reunir-se com um grupo de cristãos é um deles. Saber liderar uma igreja é outro. A Portas Abertas está crescendo com a Igreja chinesa. Isto significa que o foco do trabalho está sendo deslocado. A mudança no modo de funcionamento é resumida em quatro pontos.

Menos distribuição de Bíblias
Dezenas de milhões de Bíblias encontraram o seu caminho para a China nas últimas décadas. Na década de 1970 e 1980, a Portas Abertas fez isso em secreto, com o ápice sendo a entrega de um milhão de Bíblias durante o Projeto Pérola, em 1981. Mesmo depois disso, o anseio por Bíblias permaneceu. Agora, as coisas são diferentes. A Portas Abertas decidiu reduzir a escala de distribuição de Bíblias na China. Com a exceção de algumas áreas, não é mais necessário distribuir Bíblias e materiais de treinamento. Por um longo tempo, a China precisava dessa ajuda em particular, mas agora existem igrejas fortes o suficiente para assumir essas tarefas.

Investindo em exemplos
Na fase de transição da Igreja chinesa para a maturidade espiritual, é necessária muita supervisão. A liberdade crescente oferece oportunidades, mas também desafios. O que é necessário para liderar uma igreja? A Portas Abertas está supervisionando uma série de congregações chinesas neste processo de se tornar uma igreja em situação de crescente liberdade. A Portas Abertas quer investir em igrejas e pessoas que possam servir como exemplos. Isso cria um efeito bola de neve: estes exemplos, por sua vez, fornecem suporte para os outros.

Fortalecendo as igrejas perseguidas mais severamente: as minoritárias
Cristãos na China que ainda está enfrentando severa perseguição hoje são grupos minoritários. A perseguição ainda está sendo perpetrada por parte das autoridades, que querem evitar conflitos em áreas de minorias e querem mantê-las sob seu polegar. Os cristãos de grupos minoritários também são, muitas vezes, perseguidos por suas famílias, que não concordam com a sua decisão de se tornarem cristãos. A Portas Abertas quer particularmente se concentrar neles, com dois grupos minoritários específicos em mente: cristãos tibetanos e uigures. A Portas Abertas tem fornecido ajuda a essas minorias, encorajando-as, mas também, apoiando-as com ajuda prática, por exemplo, na criação de seus próprios negócios.

Estimular a missão em seu próprio país
Este é o maior desafio. Cristãos chineses querem evangelizar, mas quase imediatamente pensam em viagens missionárias para o Oriente Médio, enquanto que há muito a ser feito em seu próprio país! A Portas Abertas está encorajando os cristãos chineses que têm relativamente mais liberdade para apoiar os seus irmãos em seu próprio país e que enfrentam perseguição mais severa.

Em 2013, o tema do SHOCKWAVE - evento internacional organizado pelo underground, ministério de jovens da Portas Abertas, em que mais de 50 países se unem em oração pela Igreja Perseguida – foi a Igreja Chinesa. Abaixo, assista a um vídeo que explica esse grande avivamento pelo qual a Igreja na China passou:


FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoTamires Marques
 

Comentários

  • flavio
    06 jun 2013 de 17:09
     

    que o Senhor deus console os corações de cada irmãos perseguidos na China e no mundo.oremos por cada um deles por um avivamento tanto lá como em todo o mundo em nome de jesus cristo

  • Rebecca
    31 mai 2013 de 17:34
     

    Deus é Fiel!!! Mais uma grande muralha está sendo derrubada na China... Isto muito me alegra, pois vejo o evangelho do Senhor "cubrindo a terra como as águas cobrem o mar."

Deixe seu comentário

*
*
 
*
*Campos obrigatórios