Cristãos indígenas lutam por seus direitos na Colômbia

O Conselho Indígena Tradicional da Colômbia votou pela expulsão de dezenas de famílias cristãs de suas casas na região de Cauca em abril, forçando-os a fechar suas igrejas e fugir dos territórios reservados para as comunidades tribais

Um total de 37 famílias indígenas cristãs, incluindo cerca de 90 crianças, foram expulsas da reserva indígena Montecruz, no município de Paez, em 6 de abril. Dois dias depois, foi dado o prazo de 48 horas para mais 42 famílias cristãs evacuarem suas casas localizadas em Paez, Iza, Corinto, Toribio e nas reservas Tacueyo.

De acordo com o pastor Rogelio Yonda, representante legal da Associação Cristã de Autoridades Tradicionais Indígenas (OPIC), os ataques recentes contra as comunidades cristãs indígenas estão ligadas aos esforços de lideranças indígenas de conseguir recursos financeiros e desenvolvimento na saúde, educação e outros projetos para suas comunidades.

Por mais de uma década, os conselhos municipais indígenas perseguiram sistemáticamente seus membros tribais que abandonaram as crenças tradicionais e escolheram seguir a Cristo. Em muitos casos, esses líderes têm agido em parceria as FARC que operam em toda a região de Cauca.

Quatro grupos indígenas foram identificados participando de uma "Marcha Patriótica" em Bogotá em 23 de abril para cobrar do governo a entrega das receitas locais de sua região ao controle indígena.

O surto desses novos deslocamentos em Cauca refletiu em frequentes conflitos entre os inúmeros povos indígenas da Colômbia, muitos localizados em regiões remotas sob controle virtual da guerrilha.

Ao longo das últimas duas décadas, pelo menos, cinco cristãos indígenas foram mortos, dois injustamente condenados a 20 anos de prisão, mais de 50 presos temporariamente, 80 famílias ficaram sem condições mínimas arcar com suas despesas, 73 professores foram demitidos sem pagamento e 16 escolas ficaram sem aulas . Além de ameaças, abuso físico e verbal constante, os cristãos indígenas foram excluídos de seus direitos constitucionais à educação e saúde.

Em janeiro de 2000, 15 famílias cristãs na comunidade Arhuacos de Palestina, no norte da Colômbia, foram  forçadas a deixar todos os seus pertences para trás quando os líderes religiosos e civis concordaram com os guerrilheiros locais para expulsar todos os cristãos que viviam ali.

Uma vez desabrigados, os cristãos indígenas têm visto as suas necessidades básicas seriamente afetadas. Várias das 46 famílias Arhuaco que foram expulsas da cidade de Valledupar,tiveram os seus serviços básicos negados, tais como saúde e educação.

Quando questionadas, as autoridades civis disseram que eles não preservaram os elementos representativos de suas antigas tradições indígenas, logo, que não podiam mais serem reconhecidos como parte dos povos indígenas.

Mas a aliança entre os guerrilheiros eo movimento indígena da região Cauca é supostamente ainda mais forte. De acordo com Ana Silvia Secue, uma educadora cristã indígena, as FARC estão envolvidas com o Conselho Indígena de Cauca (CRIC) desde a sua criação.

Em 30 de abril, o Pastor Yonda e Ana Silvia Secue assumiram a liderança da OPIC e abriram uma queixa perante o Tribunal Constitucional Nacional, reivindicando a defesa e proteção dos direitos dos cristãos indígenas do Cauca. A ação judicial é movida contra Jesus Javier Chavez, presidente do Conselho Regional Indígena de Cauca (CRIC), e protesta contra os constantes ataques do conselho municipal indígena que expulsou 79 famílias cristãs de suas casas e as excluiu de seus direitos cívis básicos.

Pedidos de oração

• Por favor, orem pela proteção espiritual, emocional e física dos cristãos indígenas da Colômbia que passam por essa dificil situação. Ore para que eles continuem a compartilhar o Evangelho em suas comunidades.

• Por favor, orem por sabedoria e a coragem para Rogelio Yonda, Silvia Ana Secue e outros membros da OPIC sobre como prosseguir com este processo legal.

• Peça a Deus que mesmo em meio à perseguição, os cristãos indígenas possam testemunhar do amor e perdão de Deus a seus agressores.

FontePortas Abertas
TraduçãoMarcelo Peixoto
 

Comentários

  • Angélica
    04 set 2012 de 10:00
     

    Queridos irmãos, a palavra do Senhor diz que não temos que lutar contra a carne ou contra o sangue, mas contra os principados e potestades, contra as hostes espirituais da maldade nos lugares celestiais, contra os poderes do mal, contra o diabo e toda a sua gangue. Tenhamos bom ânimo sempre, pois já vencemos o mal no poder do Sangue de Jesus.

  • Michelle
    25 jun 2012 de 09:27
     

    oro a Deus para lembrarem-se do que diz a sua Palavra Bem aventurado são aqueles que são perseguidos por causa do Nome de Jesus... Irmão Indígenas sejam fortalecidos cada vez na Palavra do Senhor, resistindo firmes na fé, vocês já possuem a recompensa do Nosso Deus. Deus abençoe vocês, em nome de Jesus.

  • jorge bispo
    28 mai 2012 de 22:53
     

    QUE O NOSSO DEUS GUARDE TODOS OS NOSOS IRMAOS INDIGINAS EM NOME DO NOSSO QUERIDO JESUS

  • guiomar soares ferreira
    27 mai 2012 de 12:44
     

    Precisamos orar bastante por todos para haver uma reconciliação em ambas tartes.

  • marleide
    26 mai 2012 de 19:12
     

    vamos pedir a DEUS para ele interceder em favor dos nossos irmãos, para lhes dar força para eles continuar firmes na presença do nosso DEUS.

  • marleide
    26 mai 2012 de 19:11
     

    vamos pedir a DEUS para ele interceder em favor dos nossos irmãos, para lhes dar força para eles continuar firmes na presença do nosso DEUS.

  • Gideão Lima
    26 mai 2012 de 14:37
     

    Estou orando por esses irmãos indígenas, e creio que DEUS, o nosso DEUS vai agir em favor deles e abençoá-los mesmo em meio a essas lutas tão difíceis. a paz de Cristo para todos!

Deixe seu comentário

*
*
 
*
*Campos obrigatórios