Seminário da Portas Abertas abençoa a vida de líderes no Sri Lanka

Depois de sobreviver a uma tentativa de assassinato fracassado, um pastor do Sri Lanka e sua família aprendem chaves bíblicas para enfrentar os riscos de perseguição em Monaragala

Monaragala, um distrito do sudoeste do Sri Lanka, é onde está Katharagama Devalaya, um templo budista que atrai milhões de peregrinos de todo o mundo. Muitos pastores do Sri Lanka consideram este distrito um dos lugares mais difíceis para os cristãos praticarem sua fé. O Pastor Naradha* sabia dos riscos de abrir uma igreja em Monaragala, onde a maioria da população é budista.

"Uma vez, um homem atirou no meu marido, mas ele errou o tiro", lembrou Arjuna* a esposa do pastor. "Então, o homem pegou uma faca e agrediu meu marido. Durante a agressão, meu marido levou um corte que o fez sangrar bastante. Então, o levamos para dentro de casa e fizemos curativo no ferimento. Antes de sair, o pistoleiro confessou a nós que um sacerdote budista o havia contratado para matar meu marido".

Os três filhos adultos do pastor Naradha e Arjuna, temendo pela vida de seus pais, imploraram ao casal que abandonassem o ministério. A família estava em um momento difícil, quando decidiram participar do treinamento oferecido pela Portas Abertas, Standing Strong Through the Storm (Permanecendo Firmes Através da Tempestade-PFAT), realizado em maio de 2011 que prepara os cristãos para situações de perseguição. A Aliança Evangélica Cristã Nacional do Sri Lanka (NCEASL) organizou o evento, especialmente para os pastores e suas famílias em Monaragala.

"As famílias são a principal fonte de apoio dos pastores", de acordo com NCEASL. "Seus filhos estão servindo como líderes de louvor, líderes juvenis, professores de escolas dominicais, entre outras funções. Essas são responsabilidades vitais na vida de uma igreja. Nós estamos contentes que eles vieram, em família, participar da oficina".

Chaturi* pastora de uma igreja, no entanto, veio somente com seu filho pequeno. Seu marido a abandonou quando ela se tornou seguidora de Jesus Cristo. Em sua comunidade, ela e seu filho eram minoria. Além de ser cristã, ela também foi desprezada por ser mãe solteira. Ela não conhecia nenhum outro cristão, exceto um pastor.

"Eu não tenho amigos", disse Chaturi. "Eu não vou deixar meu filho brincar com outras crianças, porque as pessoas nos tratam de forma diferente. Então, ele não tinha amigos, como deveria. Mas durante o seminário, conheci outros cristãos. Eu não sabia que havia outros irmãos e irmãs que servem em Monaragala. Saber que eu não estou sozinha no ministério me motiva a servir ao Senhor, ainda mais”.

"Além disso, meu filho fez amiguinhos! Eu nunca o vi tão feliz. Ele estava brincando e desfrutando da companhia de outras crianças", acrescentou.

Chaturi reuniu 11 outros pastores durante o workshop PFAT. Na primeira noite, ela conheceu o pastor Naradha e Arjuna que compartilharam suas dificuldades de ministério em Monaragala. Embora o workshop havia sido adiado uma vez, devido a problemas de segurança, aconteceu num momento muito oportuno para o pastor Naradha.

“Nós estávamos passando por muitas lutas quando chegamos", disse o pastor Naradha”. “Mas damos graças ao Senhor por nos permitir participar do PFAT. Sentimo-nos encorajados e fortalecidos. Voltaremos para casa com novas amizades e com as forças renovadas para o ministério”.

FontePortas Abertas
TraduçãoMarcelo Peixoto
 

Comentários

  • tony paiva
    29 mai 2012 de 17:23
     

    Fico feliz de saber que existem pessoas compromissadas com a obra do Senhor, pessoas que pagam o preço para levar a palavra de Deus, Aleluia. Sou intercessor desse ministerio espinhoso, louvo a Deus por cada missionario, saiba que onde estiveres o Senhor sempre estará contigo para te livrar e te guardar. Estou orando para sair em campo, a hora esta chegando... Que o Senhor seja convosco. Amem.

  • Inês Carvalho
    26 mai 2012 de 11:14
     

    Glorifico ao nosso Deus que é o verdadeiro Deus de amor, justo e fiel. Que é sobre a vida desses nossos irmãos. Respondendo suas orações, os consolando e confortando. Minha amada irmã pastora Chaturi, você é um exemplo pra mim. Principalmente porque vivo num país, que ao contrário do seu, há liberdade cristã. E me envergonho de dizer que há aqui mulheres cristãs, que se cair uma chuvinha antes de ir à casa do Senhor, não vão e ainda murmuram. Estarei sempre aqui orando por você e seu filho. Que o Senhor te dê forças pra criar seu filho num ambiente de família cristã, e o levantando como um grande soldado de Cristo no seu país. Até breve.

  • Ana Kátia Marques Teles Lôbo
    25 mai 2012 de 20:53
     

    Louvo a Deus pelas Portas Abertas por estar lá dando este terinamento para o PFAT. ( Permanecendo Firme Através da Tempestade ), onde nossos irmãos que estão sendo perseguidos tenham o apoio e o carinho que lhe são devidos. Um grande abraço em o nome de Cristo

  • Ana Kátia Marques Teles Lôbo
    25 mai 2012 de 20:52
     

    Louvo a Deus pelas Portas Abertas por estar lá dando este terinamento para o PFAT. ( Permanecendo Firme Através da Tempestade ), onde nossos irmãos que estão sendo perseguidos tenham o apoio e o carinho que lhe são devidos. Um grande abraço em o nome de Cristo

  • Cauani Oliveira
    25 mai 2012 de 15:38
     

    É muito bom nos estarmos firme com Deus que mesmo no momento dificil nos tentamos prosseguir,dou graças a meu Deus por esse seminário e quando ele pensava que tava só a familia deles Deus mandou seus servos.Fico feliz por sua fé e sua coragem.Que Deus continue abençoando a vida de voces.

  • VERA LUCIA DE SOUZA
    25 mai 2012 de 10:32
     

    Termino de ler essa notícia com um sorriso de alegria,pela fé e coragem da pastora Chaturi,que com certeza colaborou muito para a fé e perseverança dos demais neste seminário que tem fortalecido e abençoado cristãos perseguidos. Graças a Deus pelos resultados na vida da família do pr.Naradha e dos demais.

Deixe seu comentário

*
*
 
*
*Campos obrigatórios