Outros projetos
 

Outros projetos

 

Ações institucionais

Os cristãos perseguidos não têm porta-voz porque, como minoria, eles são politicamente discriminados. Mas nós podemos fazer diferença. Petições, campanhas, eventos e cartas auxiliam a desfazer essas injustiças.

Os governos que fecham os olhos para a injustiça ou a comete intencionalmente saberão que o mundo está vendo. A intenção da Portas Abertas é trazer essas injustiças à luz para que o mundo as conheça e os líderes respondam o clamor por justiça.

Por meio dos projetos de ações institucionais, a Portas Abertas divulga a ausência dos direitos humanos e intervém junto às autoridades locais e/ou internacionais em favor dos cristãos perseguidos.

Ajuda emergencial

Algumas contingências extraordinárias levam a Portas Abertas, vez ou outra, a atuar em países ou regiões afetadas por algum evento extraordinário, seja ele climático, político ou religioso. Exemplos mais recentes: ajuda aos sobreviventes da tsunami em 2004, do ciclone em Bangladesh em 2007, do terremoto na China e do ciclone em Mianmar, ambos em 2008.

Nas recentes revoltas da chamada “Primavera Árabe”, a Portas Abertas também vem atuando discretamente na proteção de pessoas ameaçadas por causa da fé cristã em meio aos tumultos e à instabilidade política e social nesses países.

Presença

A presença pessoal, porém ‘invisível’ de nossa equipe, nos locais onde existe perseguição religiosa, é uma de nossas principais marcas. Visitar os perseguidos, pesquisar as condições locais, orar, entregar materiais e oferecer apoio em casos emergenciais fazem parte das ações promovidas pela Portas Abertas.

Quando o fundador da Portas Abertas, irmão André, viajou pela primeira vez para um país comunista e encontrou membros da igreja local, um dos líderes eclesiásticos visitados lhe disse: “Queremos lhe agradecer por ter vindo nos visitar, pois mesmo que você não tivesse dito sequer uma palavra, apenas o fato de nós termos visto que você se importa já significou muito. Algumas vezes nos sentimos sozinhos em nossas batalhas. É bom saber que existem irmãos de longe que se esforçam, oram e se empenham por nós”.

Desde janeiro de 2011, a Portas Abertas Brasil possui um programa de viagens de campo, chamado Sem Fronteiras, que engloba desde viagens de intercessão onde não se entra em contato com cristãos locais (por questões de segurança), a viagens de encorajamento e troca de experiências.  Para saber mais, acesse aqui página do Sem Fronteiras.