Comores

A nação de maioria sunita adotou uma Constituição que declara o islã (sunita) como a religião do Estado. Na sociedade, há uma crescente presença de tendências islâmicas radicais, apesar de uma propensão positiva em prol das práticas democráticas. A Constituição afirma que todas as políticas públicas devem basear-se nas crenças islâmicas.

Continue lendo
Existem algumas disposições legais para a liberdade religiosa, mas essas são dirigidas aos estrangeiros e não aos cristãos nativos. Propagar qualquer religião, exceto o islã, é ilegal, os convertidos podem ser processados, e cristãos ex-muçulmanos enfrentam severa discriminação da maioria muçulmana. Eles são colocados sob pressão para não praticar a fé, deixando-lhes pouca opção, como vivê-la em segredo.

Os estudiosos radicais conhecidos localmente como djaulas, muitos do Paquistão ou treinados em outras nações muçulmanas, estão pressionando por leis islâmicas (sharia) mais rigorosas no país.

Saiba mais.

 
Pedidos de oração

  • Ore pelos cristãos ex-muçulmanos que têm filhos. Eles recebem treinamento do Alcorão nas escolas. Que tenham sabedoria em criá-los na verdade da palavra de Deus.
  • Interceda pelas igrejas domésticas. Elas muitas vezes são espionadas e têm o direito de distribuir Bíblias negado. Peça por proteção e maior liberdade.
  • Apresente os líderes políticos que se opuseram a Cristo e seus seguidores. Que eles tenham os corações mudados e conheçam ao Senhor.