Perguntas frequentes

Os países da Lista Mundial da Perseguição enfrentam perseguição em todo o seu território?
Nem sempre. Países como a China possuem áreas onde não há praticamente nenhuma perseguição, assim como existem regiões onde a perseguição é intensa. No entanto, em alguns países como a Coreia do Norte, a perseguição é presente em todo o país.

Como é desenvolvida a Lista Mundial da Perseguição? 
Esse trabalho é resultado de um questionário que procura identificar, entre outras coisas:

  • a situação legal dos cristãos no país;
  • a atitude do regime político em relação à comunidade cristã;
  • a liberdade da igreja para organizar eventos etc.

Esses dados são coletados entre representantes de igrejas locais, especialistas em várias áreas de conhecimento, agências e organizações não governamentais internacionais, além de viajantes convidados a colaborar com suas impressões sobre a situação do país.

Os países citados na Lista são os únicos onde os cristãos são perseguidos?
Não. Há mais de 60 países onde cristãos são perseguidos. Esses são apenas os 50 com mais intensidade de perseguição.

Por que a Coreia do Norte ocupa a primeira posição na Lista há 15 anos consecutivos?
Na Coreia do Norte é ilegal ser cristão. Quando descobertos, os cristãos são, geralmente, enviados para campos de trabalho forçado ou são mortos. O governo não hesita em torturar e matar qualquer um que possua uma Bíblia, quer esteja envolvido no ministério cristão, organize reuniões cristãs, quer tenha contato com outros cristãos (na China, por exemplo). As condições neste país para os cristãos continuam sendo as piores do mundo.

Como vivem os cristãos perseguidos em países como a Síria, onde há instabilidade por todo o país?
As consequências de se viver em áreas de guerra são terríveis. Cristãos de países como esses são, frequentemente, alvos de extremistas muçulmanos, uma vez que sua fé se opõe diretamente à causa desses grupos. Somente na Síria, mais de 150 mil pessoas foram mortas em quase cinco anos de constante conflito.

Apesar disso, os cristãos permanecem firmes em sua fé. "Recentemente conheci um rapaz sírio de 19 anos. Seu pai tinha sido morto havia dois meses por um franco-atirador. Quando olhava para ele, via sempre um rosto triste, mas, ainda assim, ele sempre perguntava como poderia servir melhor a Deus", contou Kyra Porter, colaboradora da Portas Abertas no treinamento de aconselhamento para situações de trauma na Síria. 

Em alguns desses países, a igreja tem presença histórica. Mesmo assim, eles continuam na Lista. Por quê?
Em países como a Colômbia, por exemplo, os cristãos enfrentam perseguição de grupos rebeldes em determinadas partes do país, apesar de a Igreja Católica ter relevância histórica na sociedade.

Mesmo quem não é cristão, sofre com a violência desses grupos. Contudo, os pastores e líderes evangélicos são um alvo específico, uma vez que evangelizam as comunidades no interior do país, e, ao se convertem a Cristo, homens e mulheres abandonam a guerrilha, fazendo o grupo perder força pouco a pouco. A igreja é vista como uma ameaça à guerrilha, por isso os cristãos são frequentemente atacados.

O que significa ser um cristão ex-muçulmano?
Um cristão ex-muçulmano é um convertido que veio de um contexto mulçumano, que teve sua criação baseada no Alcorão e nos ensinamentos de Maomé.

É comum que esses cristãos enfrentem perseguição por parte de membros de sua família que seguem uma vertente rígida do islã.

Quais critérios são usados para saber se o cristão de determinado país é mais ou menos perseguido?
Dentro da pesquisa realizada anualmente, são mensurados dois termos que definem a perseguição ao cristão: smash (quebra/violência) e squeeze (esmagamento/pressão). Com esses termos, são mensurados os incidentes de violência contra a população cristã ou o cristão isoladamente (prisão, tortura, morte), e atos que envolvam a vida do cristão, assim como liberdade de pensamento e consciência, família, comunidade, governo e igreja. Ao analisar minuciosamente cada um desses termos, a Portas Abertas pontua e conclui quanto mais ou menos o cristão é acometido com atos de violência e pressão.