O presente chamado liberdade

O presente chamado liberdade


Poder ir à igreja sem ser preso, ler a Bíblia sem medo, orar, cantar e adorar não é algo possível para os cristãos-norte coreanos

 

O fugitivo norte-coreano John Choi nos conta o valor que dá ao presente chamado: liberdade.

“Embora agora eu seja feliz e livre, minha vida tem sido dura e sombria. Eu enterrei muitas memórias, mas certos 'gatilhos' inevitavelmente as trazem de volta para mim.

Algumas semanas atrás, eu estava fazendo algumas pesquisas e lendo alguns relatórios sobre os gulags, campos de trabalhos forçados, norte-coreanos e de repente me vi de volta ao centro de detenção norte-coreano. Naquela noite, eu não consegui fechar meus olhos na hora de dormir com medo do que veria. Eu podia ouvir as vozes dos prisioneiros gritando e chorando. Prisões na Coreia do Norte não são silenciosas, nem um pouco.

Escrever sobre o que vivi é muito difícil, mas quero que você saiba como é. Cinquenta pessoas estavam espremidas naquela cela. Os guardas nos obrigaram a sentar no chão, de costas um para o outro... à noite outro preso atrás de mim morreu. Causa da morte? Tortura, fome, doença, falta de cuidados médicos ou até tudo isso junto.

Dois policiais vieram e o arrastaram para fora como se ele fosse um animal morto. Prisioneiros não são considerados seres humanos na Coreia do Norte. Eu estava com 15 anos na época, foi uma experiência nova e chocante. Fiquei aterrorizado. Medo da morte. Medo de ser arrastado como aquele homem. Por que estou compartilhando tudo isso? Porque você precisa saber de onde eu venho para entender o quanto eu valorizo a liberdade.

Fui libertado da prisão depois de ser torturado até quase morrer. Foi um milagre. Deus usou um guarda para me libertar. Depois disso, eu fugi pela segunda vez para a China e desta vez – apesar de muitos obstáculos e perigos – cheguei à Coreia do Sul com segurança. Agora eu moro no Reino Unido e em uma sociedade livre e democrática.

Na Coreia do Norte, a liberdade era um conceito, uma ideia. Aqui a liberdade é minha vida diária. Eu posso ir para a igreja sem ser preso. Eu posso ler a Bíblia, orar, cantar e adorar, sabendo que Deus e os outros podem me ouvir. Eu não sinto medo. Eu sou livre para me expressar do jeito que eu quiser.

Espero que você entenda pela minha história o dom da liberdade que você recebeu de Deus em seu país. Eu valorizo isso mais que a própria vida. Deus me libertou da Coreia do Norte e me deu esse presente. Eu não poderia guardá-lo só para mim. Não guarde só para você”.

 

Pedidos de oração

  • Clame a Deus pelo fim das prisões norte-coreanas chamadas gulags.
  • Ore para que os cristãos norte-coreanos sejam fortalecidos e permaneçam firmes na fé mesmo enfrentando prisões sub-humanas e torturas.
  • Agradeça ao Senhor pelos livramentos que tem dado, verdadeiros milagres.
  • Compartilhe com outros o presente chamado liberdade e também as necessidades dos cristãos perseguidos que vivem na Coreia do Norte – o país mais fechado do mundo ao evangelho de Jesus Cristo.

 

 

ENVOLVA SUA IGREJA NO DIP 2019. CADASTRE-SE!

Logo Portas Abertas

Caixa Postal 18.105
CEP 04626-970
São Paulo/SP
+55 11 2348 3330 / 2348 3331
falecom@portasabertas.org.br