Conduzido a Deus através da fome

Conduzido a Deus através da fome


Devido à fome, ele fugiu para a China através do rio Tumen para encontrar comida para sua família

 

Pois eu tive fome, e vocês me deram de comer; tive sede, e vocês me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês me acolheram; necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram. Então os justos lhe responderão: ‘Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber? Quando te vimos como estrangeiro e te acolhemos, ou necessitado de roupas e te vestimos? Quando te vimos enfermo ou preso e fomos te visitar?’. O Rei responderá: ‘Digo-lhes a verdade: o que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram’. Mateus 25.35-40

Um colaborador da Portas Abertas no campo relata: “Eu me encontrei com um homem que cresceu na Coreia do Norte. Ele costumava vagar pela montanha para desenterrar verduras quando sua família estava morrendo de fome. O governo norte-coreano o doutrinou com propaganda sobre os cristãos – referindo-se a eles como “pessoas enganosas e más a serem evitadas a todo custo”.

Devido à fome, ele fugiu para a China através do rio Tumen para encontrar comida para sua família – apenas para descobrir que a vida ali também era desafiadora e perigosa. Para quem vive de forma ilegal na China é muito difícil conseguir trabalho, e a ameaça de ser pego pela polícia chinesa – e ser mandado de volta para a Coreia do Norte – pairava sempre sobre ele. Foi quando ele pediu comida em uma casa onde morava uma família cristã chinesa. Ele teve de superar os estereótipos cristãos que lhe haviam sido ensinados pelo regime norte-coreano, mas aos poucos seu desespero cedeu à paz, afinal sua barriga havia parado de roncar.

Ele encontrou Jesus naquela casa, foi alimentado, socorrido e posteriormente acabou saindo da China, mas não conseguiu voltar para sua casa na Coreia do Norte e ajudar sua família. Hoje ele é pastor na Coreia do Sul, mas ainda trabalha secretamente devido à ameaça de espiões norte-coreanos. Eles poderiam tornar a vida difícil para ele e para os membros de sua família que ainda hoje vivem na Coreia do Norte. Ele sonha com o dia de poder reencontrar sua família e alimentá-la não só do pão natural, mas espiritual também.

 

Pedidos de oração

  • Ore para que a fome na Coreia do Norte seja saciada pelo pão natural e também pela palavra de Deus.
  • Ore pelos muitos norte-coreanos que arriscam a vida atravessando o rio Tumen em busca de alimento para não morrerem de fome, que eles também encontrem comida e abrigo em casas cristãs.
  • Ore pelos cristãos chineses que recebem os refugiados e os alimentam, mesmo pondo em risco a vida e a família.

 

ENVOLVA SUA IGREJA NO DIP 2019. CADASTRE-SE!

Logo Portas Abertas

Caixa Postal 18.105
CEP 04626-970
São Paulo/SP
+55 11 2348 3330 / 2348 3331
falecom@portasabertas.org.br