Índia

Outro país que subiu substancialmente na Classificação da Perseguição Religiosa, ocupando o 21º lugar ao invés do 28º praticado no ano passado, é a Índia. Com a eleição do primeiro-ministro hindu fundamentalista do partido Bharatiya Janata Party (BJP), Narendra Modi, o hinduísmo ganhou força e os hindus que atacam membros de outras religiões, sobretudo os cristãos, fazem-no com a certeza da impunidade.

Nível de violência
A violência contra os cristãos na Índia é galopante e ocorre especialmente nos estados onde o partido BJP governa. Há diversos relatórios sobre pastores e membros da igreja espancados por alegações de conversão. Às vezes os cristãos chegam a ser mortos. Igrejas, bem como casas de cristãos, foram destruídas em 2014; muitos convertidos tiveram de fugir de casa, incluindo os dalits cristãos (casta inferior na Índia). Incidentes de violência aumentam em número.

O nível de violência na Índia é apenas parcialmente refletido na Classificação da Perseguição Religiosa, pois é grande o número de cristãos que enfrentam a violência em todas as esferas, por todo o país. Semanalmente – e quase diariamente – são relatados casos de invasão a reuniões cristãs, agressão e até assassinato de pastores e membros.

O crescimento do hinduísmo
A assertividade de todos os tipos de organizações hindus tem aumentado ao longo dos anos. Eles afirmam que a Índia pertence ao hinduísmo e que outras religiões devem ser expulsas do país. O extremismo hindu é de longe a principal fonte de perseguição na Índia. E isso fortalece outros grupos extremistas que perseguem os cristãos indianos, como os extremistas budistas em Ladakh, o neo-budismo em Maharashtra e Uttar Pradesh, e o extremismo Sikh em Punjab.

Com o renascimento e fortalecimento do hinduísmo, foram adotadas, em grande parte da Índia, leis anticonversão, que são frequentemente utilizadas como pretexto para invadir cultos cristãos, perseguir, espancar e acusar líderes e membros cristãos. Além disso, os radicais hindus começaram a monitorar atividades e cultos cristãos. Muitos espiões são plantados nas igrejas, o que já resultou em processos judiciais contra pastores e membros. Não são permitidas as construções ou reforma de igrejas. Diante desse clima de medo, muitos cristãos encontram dificuldade para testemunhar sobre sua fé, distribuir material cristão ou mesmo conduzir um trabalho social sem que isso ‘fira os sentimentos religiosos, ou a paz e a ordem sejam perturbadas’.

O cenário não é diferente dentro da família do cristão convertido do hinduísmo. Existe uma enorme pressão por parte dos parentes para que retorne às antigas práticas e valores. Toda e qualquer tática conhecida para essa finalidade é aplicada, mesmo que isso signifique a morte do convertido.

A Igreja cresce
Apesar de todos os obstáculos e da tradição hindu, com forte apelo à violência, a igreja cresce. É tão diversa como o próprio país e enfrenta uma série de problemas internos e pressões externas. Há regiões onde há liberdade absoluta e sem perseguição aos cristãos. Mas, recentemente, até mesmo congregações que têm trabalhado com os dalits e outras castas atrasadas durante décadas têm sido alvos de agressões e violência. Esses cristãos foram identificados como perigosos.

Apesar de todas as tendências preocupantes, a Igreja permanece forte.

Última atualização em 16/6/2015


Saiba mais