Valores centrais
 

Nossos valores centrais

Somos pessoas de fé

Em 1955, o fundador da Portas Abertas, Irmão André, fez sua primeira viagem à Polônia sem ter um motivo claro. Ele apenas tinha uma convicção colocada por Deus em seu coração. O ato de fé do Irmão André tornou-se padrão no ministério desde o início, e a Portas Abertas acredita que, mesmo que as circunstâncias indiquem o contrário, não há portas fechadas, porque Deus nunca as fechou.

A Bíblia dirige a nossa vida

Acreditamos que Deus se revela nas Escrituras, ou seja, na Bíblia. Todas as questões, a começar pelo pecado – a origem de todos os problemas –, encontram esclarecimento neste Livro. Somos o "povo do Livro" e todas as nossas ações são submetidas ao registro bíblico.

Nosso objetivo maior é a glória de Deus

Muitos dos projetos desenvolvidos anualmente em favor da Igreja Perseguida são executados em parceria com outras organizações, às vezes até de forma anônima.

Acreditamos que não há nada para nos vangloriar. Queremos apenas exaltar Jesus Cristo ao fortalecer os cristãos perseguidos ao redor do mundo, levando auxílio a quem precisa.

Nossa vida é dedicada a Cristo e a sua grande comissão

Somos comprometidos com o chamado de Jesus para que seus seguidores ajam como autênticos representantes do Reino de Deus e, com isso, alcancem outras vidas para o evangelho. Fortalecer a Igreja num contexto de perseguição significa dar a ela condições para que faça diferença no mundo (seja luz do mundo e sal da terra, como diz a Bíblia) e exerça seu papel evangelístico na sociedade em que está inserida.

Somos pessoas de oração

A verdadeira batalha que ocorre no mundo é espiritual e a arma perfeita para combatê-la é a oração. Os cristãos perseguidos parecem ter esse conceito bem vívido em sua mente, tanto que a oração é invariavelmente o primeiro pedido que eles nos fazem. Como organização, essa também é a primeira contribuição que pedimos aos parceiros. A oração é fundamental para o ministério e cada detalhe do trabalho, cada necessidade de cada irmão, é submetida a Deus por meio da intercessão.

Somos parte do Corpo de Cristo, logo, somos pessoas voltadas para pessoas

Somos todos um. Há somente um Corpo de Cristo no mundo, uma comunidade de cristãos, não importa a distância geográfica e a cultura local. Fazer parte deste corpo, ou seja, desse grupo de cristãos, significa estender a mão, conhecer, orar, socorrer e aprender com sua fé. Acreditamos que, se um membro do Corpo sofre, todos sofrem, conforme diz a Bíblia em 1ª Coríntios 12.26. Não há como ficar indiferente ao sofrimento ou dificuldade de um irmão.

Nossa tarefa é atender às solicitações da Igreja Perseguida

Assim como Jesus veio ao encontro do homem para suprir suas necessidades, entendemos que devemos ir ao encontro da Igreja Perseguida, ouvir suas dificuldades e servi-la da melhor maneira. Todos os projetos desenvolvidos no campo levam em conta as necessidades dos cristãos locais, e todo o material entregue é adaptado para que a Igreja seja abençoada e fortalecida em sua missão de servir a Cristo.