Saiba mais sobre as dificuldades dos cristãos Norte Coreanos

A Constituição prevê a "liberdade religiosa", no entanto, na prática, o governo restringe severamente qualquer atividade religiosa, exceto o que possa ser supervisionado rigorosamente por grupos reconhecidos oficialmente, ligados ao governo. Uma autêntica liberdade religiosa não existe, apenas igrejas rigorosamente controladas pelo governo.

A Coreia do Norte tem pelos menos seis tipos distintos de campos e prisões. Todos os presos vivem em condições desumanas. Eles não estão autorizados a tomar banho, estão vestidos com trapos, dormem em celas frias ou em barracões, recebem apenas algumas centenas de gramas de comida por dia, têm que trabalhar por horas à fio, estão sujeitos à tortura física e mental e correm constante risco de morte. Muitos cristãos se encontram presos nesses campos de trabalho forçado.

Uma visão geral das diferentes prisões norte coreanas

Côlonias de trabalho para presos políticos (Em coreano: kwan-li-so ou controle e gestão local). Os campos de trabalho, kwan-li-so, são lugares incomunicáveis, em regiões da Coreia do Norte consideradas "fora do alcançe da lei", para onde cidadãos norte-coreanos são deportados por causa de suas atitudes consideradas contra-revolucionárias.

Os campos de concentração são quilométricos. Eles costumam ter entre 5 e 50 mil presos, por colônia (kwan-li-so), totalizando cerca de 200 mil prisioneiros. Os prisioneiros muitas vezes vivem em aldeias, onde as famílias compartilham o mesmo barracão com outras famílias, e os solteiros vivem juntos. Às vezes, as famílias são separadas: por exemplo, o pai de família, normalmente, é enviado a um campo diferente dos seus familiares.

Existem nessas colônias longas unidades prisionais (Em coreano: Kyo-Hwa-so ou  lugar para formar um bom cidadão através de reeducação política). Existem Kyo-Hwa-so, em todas as províncias do país, que abrigam tanto prisioneiros políticos quanto pessoas condenadas por cometer outros tipos de infração.

Os componentes de reeducação das prisões, de acordo com os ex-prisioneiros, consistem, principalmente, em: 1) memorização forçada dos discursos Kim Il-sung; e 2) organização de sessões de "autocrítica", onde são avaliadas os resultados daquilo que os presos produzem.

Centro de detenção (Em coreano: jip-kyul-so ou agrupamento). A  jip-kyul-so é um centro de detenção provincial. Na realidade, são centros de detenção de curto prazo, nas quais o prazo de prisão é de seis meses e onde os presos realizam trabalhos forçados.

Corvéia (Em coreano: Ro-dong-dan-ryeon-dae ou centro de treinamento para o trabalho). Nos centros de treinamento para o trabalho, o tempo de prisão é ainda mais curto. Foi inicialmente criado para acomodar grandes números de norte-coreanos repatriados à força da China.

Centro de Interrogatório e detenção (Em coreano: Ku-ryu-jang ou centro de detenção). Esses são alguns dos piores lugares do planeta. Aqui é onde centenas de 'criminosos' ficam presos durante meses antes de serem condenados. O regime na prisão é brutal e muitos prisioneiros não sobrevivem. Felizes são aqueles que são condenados e transferidos para outro campo.

Pedidos de oração

• Ore pelos milhares de cristãos que estão presos por causa de sua fé, em campos de trabalhos forçados, na Coreia do Norte.

• Peça a Deus que dê ao povo norte coreano a oportunidade de conhecer “dias melhores”, sem fome, sem guerra, sem violação dos seus direitos mais básicos à sobrevivência.

• Ore para que Deus se revele poderosamente aos norte coreanos e seus líderes.

Leia o livro Fuga da Coreia do Norte e saiba mais sobre o cotidiano de cristãos na Coreia do Norte.

FontePortas Abertas
TraduçãoMarcelo Peixoto
 

Comentários

  • Francisco Vanderley Rodrigues Fernandes
    05 set 2012 de 15:40
     

    Deus vai dar uma ordem e todos da Corea do Norte serão libertos do domínio do homem. Todos os seres humanos pertencem ao Senhor e os coreanos serão libertos para glorificar a Deus. Porque dele por Ele e para Ele são todas as coisas a Ele a glória para sempre amém.

  • maria sonia ferreira santos
    26 jul 2012 de 18:13
     

    eu nao tinha conhecimento pois na igreja, nao fala se fala eu nao sabia tomei conhecimento outro dia atraves de outra igreja pela internete ,hoge tenho orado pelas madrugadas e chorado pelos nosso irmaos so; DEUS pode e sei que vai fazer milagres nos lugares onde tiver um irmao en cadeia pelo neme dele,uma noite de milhao de milagres.

  • Adonias Macmiller Corrêa Farias
    10 jul 2012 de 23:16
     

    Ao Ler esas noticias nós, da Igreja Livre do Brasil temos que orar mas pelos irmãos perseguidos no mundo,para que não aconteça o mesmo massacre a cristãos no incio do século.certos de que, toda terra se encherá da glória do senhor assim como as águas cobre o mar.

  • Régina de Oliveira
    10 jul 2012 de 14:18
     

    Em nossa Igreja, Batista Jesus É A Vida, oramos pela libertação dos norte-coreanos e creio que um dia veremos isso acontecer, assim como aconteceu na Alemanha Oriental.

  • Bertoldo Borges Filho
    06 jul 2012 de 15:36
     

    Está na hora de os Cristãos do mundo todo se unirem e fazer um boicote en ão comprar mais aos produtos chineses, iranianos e outros países perseguidores de cristãos.

  • Roseni gorete de Oliveira
    04 jul 2012 de 21:32
     

    Deus é fiel em todas as coisas e com certesa esta fortalecendo cada um de nossos irmãos amados. Todo povo de Deus esteje orando por esses queridos que não negarão o Nome de JESUS. estare orando junto nessa batalha.E QUE DEUS SEJE GLORIFICADO,AMEM.

  • janice gonçalves dos santos
    03 jul 2012 de 13:09
     

    Só basta nos da igreja que temos livre-arbítrio de pregar o evangelho orar em pro de servos do senhor.

  • adilson mendes da silva
    02 jul 2012 de 20:07
     

    Deus possa sustenta-los firmes, que Deus possa faze-los triunfar em toda e qualquer situação. Estou orando por vocês.

  • Maria Cecília
    30 jun 2012 de 08:40
     

    Jejum e Oração por eles, urgente.

  • Robson F lima
    29 jun 2012 de 14:08
     

    Esse é o país número em perseguição aos nossos irmãos, é difícil pensar que neste exato momento em que estou escrevendo, tem um irmão norte-coreano sendo morto ou martirizado pelo nome de JESUS, nós da igreja livre temos que despertarmos do sono da indolência como diz o livro perigoso.

Deixe seu comentário

*
*
 
*
*Campos obrigatórios