Mulheres do Caminho
 

Mulheres do Caminho

O ministério feminino de intercessão da Portas Abertas

Fora do Brasil, este ministério é chamado de Women to Women. No Brasil, é chamado de Mulheres do Caminho e existe há dois anos para mobilizar as brasileiras em favor das cristãs perseguidas.

O nome foi escolhido a partir do livro bíblico de Atos, em que Jesus é citado como ‘O Caminho’. Logo, se refere a mulheres que servem a Cristo, o único Caminho, e que também servem umas às outras.

O despertar da necessidade de trabalhar com as mulheres da Igreja Perseguida surgiu no final da década de 1970. Nessa época, o principal foco de operações da Portas Abertas era a Europa Oriental. Em suas viagens para a Romênia, Ben Compajen¹ levava sua esposa, Didi, algumas vezes consigo. Enquanto Ben se reunia com os homens, Didi passava algum tempo com as mulheres, na cozinha. Foi então que Didi Coman passou a conhecer e a perceber as necessidades daquelas mulheres, que enfrentavam grandes períodos de solidão.

Durante a década de 1980, Anneke Companjen, esposa do presidente emérito da Portas Abertas Internacional, recebeu a triste notícia que uma irmã vietnamita havia cometido suicídio enquanto seu marido estava preso. E esse foi um momento decisivo para que a direção da Portas Abertas se conscientizasse da necessidade de um ministério que cuidasse das mulheres da Igreja Perseguida.

Desde então, muitas mulheres em todo o mundo têm sido ajudadas com treinamentos, aconselhamentos, aulas de higiene e beleza, cursos profissionalizantes de capacitação e sustento financeiro. Muitas vezes, quando os maridos morrem ou são presos por sua ligação com o cristianismo, as mulheres assumem a liderança da igreja e da família. Nessas horas, elas precisam de muito apoio e direcionamento.

Aqui no Brasil, o objetivo do ministério Mulheres do Caminho é unir as mulheres brasileiras para orar por nossas irmãs que são perseguidas. Isso é feito por meio de encontros, visitas à igrejas e reuniões de oração.

¹ Irmão do presidente emérito da Portas Abertas Internacional, Johan Companjen.

PARTICIPE

Para se envolver com esta causa, cadastre-se aqui.

AGENDA

É possível agendar a visita da coordenadora do Mulheres do Caminho, Elizabeth Banov, para falar mais sobre as necessidades específicas das mulheres cristãs que sofrem perseguição. Conheça como elas têm superado as dificuldades e como a sua oração gera efeitos nos trabalhos de campo. Preencha aqui o formulário e solicite uma visita.